top of page

Realme vai abrir 20 lojas próprias de celulares em shoppings de SP

O grupo brasileiro Xpanse será responsável por inaugurar as unidades da marca chinesa dentro do Estado e já mira em franquias em 2025

A Realme, varejista chinesa de tecnologia do conglomerado BBK Electronics, continua com sua estratégia de crescer no Brasil. A marca fechou uma parceria com o grupo brasileiro Xpanse para a abertura de 20 lojas oficiais próprias em shopping centers do estado de São Paulo até junho de 2025.

Presente no Brasil desde 2021, a Realme só vendia no mercado nacional, até então, por meio de lojas multimarcas. Com a parceria, a empresa aumenta sua presença física e pode estreitar o relacionamento com os consumidores, já que os brasileiros prezam pela experimentação dos dispositivos antes de comprar. A Realme Brasil não quis conceder entrevista ao Diário do Comércio para detalhar seus objetivos.

Com foco em lojas e quiosques de shopping centers, o grupo Xpanse inaugurou a primeira loja flagship própria da Realme no Raposo Shopping, região metropolitana de São Paulo, em maio. Na ocasião, uma imensa fila se formou do lado de fora da loja, nos corredores do shopping, que aguardavam para fazer suas compras.

Além da nova loja conceito, a marca também prepara o lançamento da nova geração da chamada Number Series, sua série de produtos intermediários premium. Depois do Raposo Shopping, foi a vez da inauguração da loja do Plaza Shopping Carapicuíba e, em julho, será aberta a unidade do Mauá Plaza Shopping, no ABC paulista.


A primeira loja flagship da Realme no Brasil, no Raposo Shopping, atraiu uma multidão na inauguração

De acordo com Roberto Pereira, diretor-executivo do grupo Xpanse, outras sete lojas e quiosques em shopping centers já estão com as negociações avançadas e serão inauguradas em breve. São eles: Plaza Sul, SP Market, Shopping Taboão, Shopping Campo Limpo, São Bernardo Plaza Shopping, Grand Plaza Shopping (Santo André) e Itaquá Park Shopping (Itaquaquecetuba).

“A atuação do grupo Xpanse com as lojas oficiais da Realme está focada exclusivamente no estado de São Paulo. Além das 20 lojas próprias, já em negociação com os shoppings, temos em andamento um plano de expansão por meio de franquias. O objetivo é chegar a 50 unidades até o fim do ano que vem”, diz Pereira. O grupo Xpanse é formado por seis sócios e tem atuação exclusiva na operação da Realme.

Todos os produtos vendidos nas lojas físicas têm a mesma garantia de um ano oferecida pela marca em todo o território nacional.

Fundada por Sky Li em 2018, a Realme tem produtos voltados para todos os segmentos, no entanto, os celulares são mais procurados por consumidores das classes C e D, e principalmente mais jovens. Os modelos têm valores a partir de R$ 699, podendo chegar a R$ 4 mil para os top de linha. Além de celulares, a marca chinesa produz tablets, aspiradores, notebooks e TVs. Esses produtos ainda não são encontrados no Brasil.

Pereira promete um e-commerce dedicado às vendas dos aparelhos da marca, mas os consumidores já podem comprar em marketplaces como Shopee, Mercado Livre, Amazon, Magalu, Americanas, Oi Place, Aliexpress e Carrefour. “O consumidor brasileiro gosta de pegar o produto, testar, comparar. Por isso, as lojas físicas estarão à disposição para os clientes conhecerem os modelos de perto”, diz.


DIFERENCIAIS

A Realme vem se consolidando no mercado como uma companhia de tecnologia inovadoras e produtos acessíveis em todo o mundo. Agora, amplia sua participação no Brasil para bater de frente com a também chinesa Xiaomi, que já tem operações em mais de 40 shoppings brasileiros, como o Center Norte, Ibirapuera, Eldorado, Morumbi e Aricanduva.

Os aparelhos da Realme são dotados de tecnologias inovadoras, como o modelo C61, que foi anunciado oficialmente como um smartphone de entrada “resistente como aço”. Ele oferece resistência contra água e poeira, além de certificação alemã de durabilidade TUV Rheinland. Em vídeos da plataforma TikTok, modelos da Realme são jogados no chão e passam por várias provas de resistência a quedas.

Mas é o custo-benefício da marca que tem atraído muitos consumidores. “São modelos de alta qualidade com um preço muito bom de mercado”, avalia o diretor da Xpanse. Um dos fatores que tornam isso possível é que a empresa tem patentes próprias e não precisa pagar royalties para fornecedores em diversos dispositivos.

No primeiro trimestre, a Realme lançou o smartphone C67, que promete ser o mais equipado de sua categoria, pelo preço sugerido de R$ 1,7 mil. Nas palavras da fabricante, o telefone oferece uma “experiência móvel invencível”, dotado de uma câmera principal de 108 MP para fotos super nítidas, combinada à performance do chipset Snapdragon 685, produzido com tecnologia de 6 nm e uma tecnologia de zoom 3x In-sensor, que utiliza 12 milhões de pixels no centro do sensor de 108 MP para a captura de fotos sem nenhuma perda de resolução.


Comments


bottom of page